Dissonâncias entre Valores – Palestra de Liderança

Cultura da Organização – Porquê tão difícil acontecer?

 

Um dos objetivos corporativos mais comuns e disseminados no ambiente empresarial é a formação da Cultura da Organização.
Se já participou de uma Palestra de Liderança orientada à empresas, facilmente esbarrou neste termo. O interessante, e trágico, é que quando perguntamos aos colaboradores das organizações qual é a cultura da organização, a maioria enrola, inventa na hora ou ainda, os mais honestos, simplesmente dizem não sei.

Ora, se colaboradores de uma organização tem esta reação, qual de fato é a cultura da organização?
É a que está na carta de valores? Que está nos anúncios de marketing? Nas revistas? No Site? Podem estar em todos os lugares, menos nas pessoas que compõe a organização?

Ora, se cultura é coisa que somente pessoas podem conceber, como pode estar em outro lugar, senão nas pessoas, nos colaboradores da organização?

Pronto, estamos diante de mais um dos matadores de líderes. Este matador tem o nome de desconexão entre o que se dissemina e o que se realmente faz. Poderia dar outro nome como dissonância cognitiva em um dos seus espectros comportamentais. Resumindo o comportamento não vibra com o pensamento. Todos na organização sabem que a organização tem uma cultura, mas não conseguem identificá-la ou traduzí-la em ações, por mais simplórias que sejam. Estão dissonantes entre sí e a, suposta, cultura que preconizam.

Porquê líderes deixam isto acontecer? A resposta é simples, porquê não são líderes. Estão no comando mas não lideram.

Cultura é coisa exclusivamente de homens. Não existe cultura da organização, mas sim a cultura dos indivíduos que a compõe. Se os indivíduos que a compõe não conseguem reproduzir esta, suposta, cultura da organização, é porquê a organização não consegue reproduzir o que somente o gênero humano consegue.
E se o gênero humano, coletivamente, não consegue reproduzir a cultura de sua coletividade só pode ser fruto de:

  • A cultura da coletividade não alcança este indivíduo. Ou seja o indivíduo não faz parte desta coletividade, divide o mesmo ambiente, o mesmo espaço, mas não é parte da coletividade. É dispensável e não fará falta para esta coletividade.
  • A coletividade não tem uma cultura identificável por todos, como consequência alguns ficam fora da coletividade, como na situação acima.
  • A coletividade não tem uma cultura, o que cremos, é impossível, pelo menos para o ser humano.

Bingo!!! Os líderes estão falhando.

 

É muito comum as Empresas de Palestra Empresarial reproduzirem estes conceitos, mas não conseguirem dar os caminhos para que estes conceitos saiam do limbo da dissonância e tornem-se uma realidade percebida por todos na organização.
Há uma razão para isto, um Curso de Liderança que dissemina conceitos ultrapassados, formam líderes para o passado. Líderes para o passado, não conseguem liderar no presente.
O que muitas organizações nos sinalizam é que, ao contratarem um Curso de Liderança tem a percepção clara de que ano à ano estão pagando pela mesma coisa o tempo todo, por não acharem nada mais de inovador, que vá aos fundamentos da liderança, aos alicerces ou ao “sine qua non” da liderança. Sentem o mesmo quando migram para a Palestra de Liderança.

Não desanimar é essencial.

O que recomendamos é não desanimarem, há razões para não desanimarmos.

  • Primeiramente a Liderança é dinâmica, muda com o tempo, costumes, dificuldades e facilidades de época, principalmente com os aspectos culturais.
  • Se líderes falham em não conseguir realmente a formação de grupos que nutram valores em comum é porquê, para os próprios líderes, a liderança é aprendizado também e requer tempo.
  • Somente a percepção de que existe esta dissonância já é metade do problema resolvido, imaginem se nem esta consciência fosse percebida, não seria bem pior? Temos de nos ocupar, então, somente com a metade do problema.

Assim é a liderança, é estudo e desenvolvimento para toda a vida. Não há um Curso de Liderança no mundo que lhe dará a fórmula definitiva da liderança. Mudou algum aspecto cultural e pronto, o líder terá de se adaptar, senão não irá mais liderar.
Dentre os assuntos mais urgentes, que as organizações tem de resolver, está exatamente a sintonização entre o que se propõe de cultura organizacional escrita nos portfólios, nas cartas de valores e nas ações de marketing com cultura organizacional de fato, ou seja a cultura que está presente na mente das pessoas que compõe a organização. Somente este passo já seria um avanço de proporções muitíssimo positivas para qualquer organização.

Qualquer que seja o passo dado pela organização, desde a mais simples Palestra Empresarial até a mais importante das decisões em qualquer ambiente tem de traduzir o que está proposto na carta de valores da organização, senão não é cultura organizacional, é desejo de cultura organizacional.
Entenda também que isto faz parte do amadurecimento organizacional. Por melhor que seja ao esforço que a organização se impõe para chegar neste estado tão desejado, requer tempo, resiliência e continuidade, o tempo todo.
Quando nos dedicamos à atividade de Palestra para Empresas esbarramos com estas dificuldades todos os dias, sabemos que é um caminho, por vezes, demorado mas os frutos positivos são sentidos com o tempo.
Há inúmeras empresas de Treinamento Empresarial com portfólios diversificados que poderão ajuda-lo neste desenvolvimento. Portfólios diferentes com abordagens diferentes cumprirão a tarefa de evitar o esgotamento do tema e de colaborador em colaborador, de líder em líder, sua organização conseguirá uma cultura organizacional que estará traduzida no lugar correto, não mais nos bancos de dados ou papéis da organização, mas na mente das pessoas que a compõe.

 

Fonte da Matéria : TrainerBr

Suporte Trainer Br : +55 11 5613-6515
Mobile : +55 11 96590-4955
E-mail : relacionamento@trainerbr.com.br