Subjetividade da Palestra Empresarial

Subjetividade numa Palestra Empresarial.

 

A Palestra Empresarial contemporânea agregou o valor não aferível ao negócio, por esta razão tem de ser bem posicionada no ambiente aonde pretende-se que seja ministrada com sucesso e tenha uma boa receptividade do público à quem se destina. Porquê a afirmação que a Palestra Empresarial agrega um valor não aferível ?

O valor aferível é aquele que a organização consegue medir ou atribuir um valor que dê a exata dimensão do que foi adquirido. Este valor atribuído pode ser quantificado em qualquer unidade que seja aderente ao que se está aferindo.
Agora imagine uma Palestra Empresarial que trata do tema ética, por exemplo. Como se irá aferir o que esta palestra proporcionou aos colaboradores se o tema o qual ela trata não pode ser quantificado. Não existe uma unidade para se aferir o quanto pessoas são ou não são éticas. É uma característica subjetiva do ser humano e não conseguimos dar à esta característica uma propriedade que permita a aferição. Ética é subjetiva.

Por esta razão é que a Palestra Empresarial agrega o que não é aferível ou esta aferição é subjetiva. Sendo subjetiva cada colaborador pode realizar uma aferição pessoal sobre este evento corporativo. Uma dificuldade, de fato, tanto para a organização, quanto para a Empresa de Treinamento e Desenvolvimento que se dedica à esta atividade. Diante de tal dificuldade, como escolher um tema para uma Palestra Empresarial que seja agregador de valor para o negócio?

 

O primeiro passo é a percepção do momento que a organização vive. Quais valores subjetivos poderiam ser fomentados na empresa de forma que, estes valores subjetivos fossem gatilhos ou facilitadores da atividade corporativa.
Para esta percepção nenhum departamento está tão habilitado quanto o RH, juntamente com as lideranças da organização.
O segundo passo é a consulta á fornecedores de serviço que dedicam-se à atividade da Palestra Empresarial e que tenham o tema escolhido em seu portfólio de palestras.
O terceiro passo é uma entrevista com as Empresas de Treinamento e Desenvolvimento que foram, previamente, selecionadas como candidatas à levarem para cabo esta tarefa. Como será a evolução da palestra, se identifica com o que a organização pretende ou não, se encaixa-se no orçamento previsto e outros detalhes passíveis de contratação.
Por último a discussão e decisão sobre qual será, ou quais serão as Empresas de Treinamento e Desenvolvimento escolhidas para levarem à cabo a Palestra Empresarial que está contratando. De qualquer forma o que ela deverá entregar são informações e a avaliação destas tendem à ser bem subjetivas. Qualquer que seja a natureza da palestra, a dinâmica e mecanismos funcionam muito próximo do que foi exposto. Claro que o Treinamento Empresarial já sabe disto e procura dar um tempero mais objetivo para o que se expõe nas palestras, mas nem todos os temas permitem esta manobra.
A Palestra Empresarial é subjetiva quando trata de um tema subjetivo. Não é oportuno nutrir um interesse de objetividade, à não ser que os temas permitam como por exemplo uma palestra sobre segurança no trabalho que pode lançar mão de dados e estatísticas em sua evolução. Mas existem muitos temas bastante subjetivos, tanto que as palestras corporativas mais comuns nas organizações são : Palestra sobre Ética, a Palestra de Liderança e todos os tipos de Palestras Motivacionais que possa imaginar.

Antes de se pensar numa Palestra Empresarial, pense no tema e suas características, para que expectativas não sejam infladas, o que prejudicaria muito a sua leitura dos resultados.

 


Fonte da Matéria : TrainerBr

Suporte Trainer Br : +55 11 5613-6515
Mobile : +55 11 96590-4955
E-mail : relacionamento@trainerbr.com.br