O Primeiro Treinamento in Company

Cuidados no Primeiro Treinamento in Company.

Para os marinheiros de primeira viagem ou para organizações que ainda não realizaram um Treinamento in Company aqui vão algumas dicas que podem ser importantes e evitarão alguns infortúnios naturais de quem está experimentando o Treinamento Empresarial neste formato pela primeira vêz.

Não somente quem organiza um Treinamento in Company deve estar preparado para este evento. Muitas vezes os treinandos, estando mal preparados, podem ocasionar alguns intercursos que acabam por prejudicar os demais. Um Treinamento in Company é um evento da organização e quanto mais o esmero for percebido por todos, melhor sua aceitação, comprometimento de todos e aprendizado.

O que deve-se observar num Treinamento in Company?

 

Agendas indefinidas ou falta agenda.

Iniciar um Treinamento in Company sem a apresentação da agenda do que alí irá acontecer é um pecado capital. Normalmente é um descuido de treinadores mal preparados e denota falta de cuidado para preparar os treinandos para o transcurso do treinamento, além de transmitir pouca elaboração e gerar reações emocionais negativas.

 

Falta de aviso prévio e orientação aos treinandos.

Treinandos não programaram-se, não reservaram tempo em sua agenda para o Treinamento in Company como consequência podem ir para o evento e submetê-lo à interrupções por motivos diversos como atender urgências, dar suporte à um colaborador de sua área em alguma dúvida importante e, em alguns casos, até deixar o ambiente do Treinamento temporariamente. Para o treinador não representa nenhum problema, pois poderá sempre voltar ao ponto de interrupção. Já para os demais treinandos é um forte indutor de desinteresse e distrações que podem prejudicar a absorção do conhecimento.

 

Falta de estímulo prévio.

Este é um dos erros mais comuns que vemos nas organizações. Treinamentos acontecem sem a motivação prévia para treinandos informarem-se sobre o tema.
Esta falta de interesse prévio acaba por empobrecer o debate e revela pessoas despreparadas para o aprofundamento em torno do assunto ali tratado. Conhecem apenas o tema do Treinamento in Company, mas não se interessaram em saber um pouco mais ou pesquisar. Acabam por participarem pouco do Treinamento por falta de arcabouço de informações. Um treinamento ministrado para pessoas que não foram previamente estimuladas acaba por ser um Treinamento morno, sem debates e com o nível de reflexão baixo. Claro que treinadores bem preparados sabem muito bem como lidar com esta situação, porém uma preparação prévia seria muito mais produtiva ao treinamento e traria muito melhores resultados de aprendizado. Não acontece com todos os colaboradores, mas com uma grande parcela é visível à primeira observação.

 

Fatores de Distração.

Fatores de distração durante o Treinamento in Company como celulares, notebooks, tablets e outros dispositivos, à não ser que sejam utilizados para o acompanhamento programático do treinamento, devem estar desligados. Na maioria dos casos o pedido para desligamento destes aparelhos parte do próprio treinador que detecta a falta de cuidado dos preparadores para que esta distração seja evitada.

 

Cumprimento do Treinamento no Tempo previsto.

O cumprimento do tempo é importante para um Treinamento in Company, afinal o espaço reservado para o evento pode possuir outro agendamento logo após seu término.
Porém é salutar dar-se alguma tolerância para que os debates possam acontecer e as dúvidas sejam sanadas imediatamente, o que pode estender um pouco o tempo previsto. Mas esta faixa de tolerância não deve ultrapassar mais do que 1h à não ser que não haja outro evento posterior. Neste caso fica à deliberação dos organizadores e treinandos estenderem um pouco mais o Treinamento. São raros, mas já estendemos em quase 2 horas, isto mostra interesse de treinandos e a vontade de aprofundar-se no estudo proposto.

 

Interrupções constantes das Lideranças.

É comum vermos gestores e líderes muito empenhados que o conhecimento seja transmitido aos seus colaboradores no melhor nível possível e durante o Treinamento in Company realizarem inúmeras interrupções para darem sua colaboração. Esta iniciativa é muito salutar, pois sinaliza à equipe que seu gestor, ou líder, se interessa pelo que ali acontece e quer participar e colaborar com o time. Porém o excesso de interrupções pode gerar o efeito contrário do que o gestor espera e ele se tornar um fator de desestímulo por seu posicionamento prolíxo. Portanto sugerimos que gestores e líderes continuem realizando estas intervenções, é uma sinalização importante para a equipe, mas calibrem suas expectativas e realizarem somente as interrupções que serão diferenciais, importantes e com parcimônia.

 

Paradas Estratégicas.

À cada período de 3 horas, no máximo, uma parada é importante para todos os participantes, incluindo o treinador. Acontece comumente como um coffee-break, mas o objetivo desta parada não é, simplesmente, tomar café. De fato é uma parada para reorganização das informações, para um descanso mental e para socialização de todos, incluindo o treinador. Este período é mais importante do que imagina. Um Treinamento in Company extenso e sem este cuidado acaba por comprometer o aproveitamento da equipe na sua segunda metade por cansaço ou exaustão mental. Normalmente as paradas são de 15 ou 20 min.

 

Perda do Foco.

Fuga para temas secundários, esta prerrogativa é inteiramente do treinador. A proximidade que o Treinamento in Company proporciona entre treinador, ambiente e pessoas é máxima. Esta é uma das enormes vantagens que tem sobre o EAD aonde a interatividade, quando há, é muito menor e limitada.
Esta proximidade faz com que pessoas se exponham mais, opinem mais e interajam muito mais o que torna o aproveitamento do Treinamento máximo. Se o treinador não tomar alguns cuidados com esta interatividade toda poderá ser induzido à temas secundários e prejudicar o objetivo fundamental proposto pelo treinamento. É salutar você, que estará contratando um Treinamento in Company com qualquer prestador de serviços, ser atento à esta possibilidade. É de responsabilidade do treinador a gestão do Treinamento in Company, porém se o treinador cometer algum deslize ou falta de atenção com esta questão, caberá á você contratante uma interferência pontual para o retorno à rota.

 

Basicamente é isto. Normalmente as Empresas de Treinamento e Desenvolvimento já conhecem todas estas nuances e estão preparadas para evita-las, mas é importante que você também as conheça, principalmente se for um marinheiro de primeira viagem e, se algumas das Empresas de Treinamento Empresarial que você contratar falharem, você ainda pode corrigir rotas para que o evento não seja comprometido.
Estas observações não são direcionadas somente ao treinamento para os colaboradores, se realizar um Treinamento para Líderes verá que os mesmos cuidados são importantes também. O Treinamento para Líderes é mais tranquilo por se tratarem, normalmente, de pessoas com um melhor preparo, já terem participado de outros treinamentos e terem posturas mais definidas.

Se está planejando seu primeiro Treinamento in Company observe estas dicas e deverá correr tudo bem.

 


Fonte da Matéria : TrainerBr

Suporte Trainer Br : +55 11 5613-6515
Mobile : +55 11 96590-4955
E-mail : relacionamento@trainerbr.com.br